Lizandra Andrade*
“Tenho a sensação de que foi a música quem me escolheu”. O canto lírico até pode ter abraçado a jovem Nabila Dandara, de 29 anos, mas, se não fosse seu empenho e dedicação, não estaria no degrau mais alto de uma conquista internacional.

A artista, que cresceu em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, passou em primeiro lugar no curso do Conservatorio di Musica Benedetto Marcello, em Veneza, na Itália, e, se tudo der certo, partirá para especializar-se ainda mais. “Essa aprovação significa que nós, brasileiros, temos tanto potencial quanto qualquer pessoa de outro país, só precisamos de oportunidade”, diz ela, que estuda canto lírico há nove anos.

“Aos jovens que querem realizar seus sonhos e aos pais deles, eu peço que lutem por um país melhor e mais justo” (Nabila)

Formada em música pela Universidade do Estado de Minas Gerais e integrante do Coral Lírico de Minas Gerais, Nabila conta que tudo começou no coral Musicanto, em Contagem, no ano de 2006. Desde então, ela participou das orquestras Jovem das Gerais, Ouro Branco, Opus na Cantada de Natal, Sinfonia da UEMG e Sinfônica de Minas Gerais. No entanto, sua primeira apresentação solo, em outubro de 2017, ficará para sempre na memória. “Foi quando interpretei a personagem Clara, da ópera ‘Porgy and Bess’, no Palácio das Artes”, lembra ela, que pretende rodar o mundo com sua voz, criando e fazendo história nos quatro cantos.

Confira a potência vocal da cantora:

Força

Um clássico de Milton Nascimento diz que “é preciso ter força, preciso ter raça, preciso ter gana sempre”, e isso tudo Nabila tem de sobra. Aprovada em primeiro lugar em Veneza, entre 140 candidatos, a cantora conta que a ida até a Itália para fazer a prova foi sua segunda viagem internacional – e ela não falava nada de italiano. “Como foi um teste prático, a única coisa que tive que fazer foi cantar”, revela ela.

Financiamento

Fazer um intercâmbio, principalmente na área artística, não é tarefa das mais fáceis – é até um privilégio! Por isso, para fazer valer o primeiro lugar no Conservatório di Musica Benedetto Marcello, em Veneza, na Itália, Nabila Dandara precisa de ajuda. “O curso tem a duração de dois anos, e o consulado exige que eu comprove uma renda para me sustentar lá neste período”, explica ela, que lançou uma campanha no Kickante para custear seus estudos. (colabore clicando aqui)

*Sob supervisão do jornalista Felipe Pedrosa

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s